#36 Ou então felicidade é brinquedo que não tem!

por | set 9, 2019 | 5 Comentários

Lá no interior da Bahia onde passei minha infância, os carros de som tomavam as ruas em época de Natal fazendo propaganda das lojas, embaladas por uma trilha sonora muito peculiar.  Anos depois eu viria a saber que se tratava de um clássico da nossa música popular brasileira. Anoiteceu, do compositor baiano, Assis Valente.

Assis teve uma vida marcada por muitos problemas. Foi um homem de dores. Não aguentou a angústia. Cometeu suicídio. Imortalizou na sua canção o seu sofrimento: “Papai Noel, vê se você tem a felicidade pra você me dar. Eu pensei que todo mundo fosse filho de Papai Noel. Bem assim, felicidade eu pensei que fosse uma brincadeira de papel.  Já faz tempo que eu pedi, mas o meu Papai Noel não vem. Com certeza já morreu ou então felicidade é brinquedo que não tem.

Corta o meu coração essa história. Pego uma lágrima discreta no canto dos meus olhos enquanto escrevo. Queria ter conversado com Assis. Queria ter sido seu amigo. Queria ter dito a ele que a felicidade é um brinquedo que existe. Queria ter falado com ele que a dor de hoje não é a última palavra, o amanhã traz sempre uma nova esperança, pois tudo começa de novo.

Sou uma pessoa feliz. Sou alguém habitado por muitas alegrias. Mas cada dia que passa aprendo a ter um olhar reverente e compassivo com quem vive imerso na dor e na angústia.

5 Comentários

  1. Miriam

    Cortou meu coração também Badú.Nunca tinha parado para prestar atenção nessa letra, da música que marcou a data que mais gosto.Não vou mais ouvir, sem pensar em Assis e tantos outros que vivem a mesma decepção.

    Responder
    • SULYVAN

      Texto fantástico
      Sensibilidade singular
      Que sejamos os ouvidos de quem sofre é que possamos perceber na produção de fala, gestos, letras e etc a dor do outro

      Responder
  2. Nancy Carvalho

    Sempre achei essa canção muito triste,agora entendi o porquê. O natal sempre nos leva a reflexões e as do Assis lhe traziam tamanha dor. E como é triste saber que existem milhares de Assis por aí.

    Responder
  3. Alexandre de Lima.

    É de fato abre-se uma janela para o lamento. Bom também é destacar a sensibilidade expressa no texto, bem como o registro do anseio viceral de fazer algo… já fazendo, com a consolidação cada vez mais de uma postura reverente para com os que sofre dores inimagináveis. Obrigado!

    Responder
    • Alexandre de Lima.

      *Sofrem

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscreva-se com seu endereço de e-mail para receber novidades e lançamentos em primeira mão!