#35 Precisamos falar sobre a dor de existir

por | set 2, 2019 | 14 Comentários

Confesso. Hesitei ao escrever este texto. Fui aconselhado a não tocar neste assunto. Mas o acho importante demais para não falar sobre ele... Estamos no mês de setembro. Amarelo é a cor da estação, simbolizando uma campanha de prevenção ao suicídio.  Os números assustam. Só no Brasil, anualmente 11 mil pessoas tiram sua própria vida.

Dores são parte da nossa vida. Mas que mistério é esse que faz do existir uma dor tão insuportável? Que dor é essa que só desaparece fazendo com que quem a sente desapareça? Que “remédio” pararia esta dor que diz a quem sente que para sua vida não tem mais remédio? Não existem respostas rápidas para essas perguntas. Elas balançam nossas estruturas e nos desafiam.

Quando algo é grande demais para entender, procuro me agarrar com toda força àquilo que já sei. Já sei que se existir é um fato, viver é uma arte. Já sei que felicidade não é um estado mágico que surge do nada, é uma arte a ser aprendida e cultivada dentro de casa, na rua, na escola, na igreja, na empresa. Precisamos falar sempre e mais sobre felicidade, a fim de que as forças da morte sejam sobrepostas pelas da vida. Uma felicidade que incorpora a dor como um dos seus elementos e assim nos ajuda a melhor lidar com ela.

Quem dá este passo fatal a que chamamos suicido, o faz em busca de uma felicidade que sua dor de existir lhe subtrai. Que os anjos da vida espalhados por este mundo sempre cheguem na hora e tragam consigo um novo dia cheio de esperança e felicidade.

 

14 Comentários

  1. Júlio

    Que tenhamos uma semana de esperança

    Responder
    • darcy santos carvalho

      Tocar nesse assunto tão delicado realmente não é facil,mas que bom seria entender mais dele na busca de ferramenta para ajudar ajudar pessoas essa terrível situação.

      Responder
    • Miriam

      Conheci 2 pessoas e acompanhei bem de perto quando perderam sentido da vida e de forma incompreensível cometeram suissidio. Uma teve múltiplas fraturas nós dedos,sinal do esforço para evitar a queda do nono andar.A dor ” aqui dentro” foi maior.Que dor tão forte e essa que leva alguém não querer mais viver?

      Responder
    • Eduardo Pedreira

      Sim que a esperança sempre vença

      Responder
  2. Helena

    Badu, sou voluntária no CVV e atendo por telefone semanalmente 4 horas muitas (em média 35) pessoas que estão com dores e profundamente tristes, que podem decidir por terminarem suas vidas.
    No Brasil ocorre 1 suicídio a cada 45 minutos.
    Precisamos conversar sobre isso e que bom que você trouxe esse tema.
    Beijos

    Responder
    • Alexandre de Lima.

      …não desprezando a dor, mas, combatendo-a intencionalmente com atitudes diárias, prosseguimos frágeis e fortes, buscando a arte de viver, sobrepondo a dor da existência para não morrer nem metafórica, nem literalmente.

      Responder
      • Eduardo Pedreira

        Valeu Alexandre

        Responder
    • Eduardo Pedreira

      Oi Helena, de fato, este tema é vital. Belo trabalho o do CVV

      Responder
  3. Filipe

    Ótimo texto, parabéns pela coragem

    Responder
    • Eduardo Pedreira

      Valeu Filipe

      Responder
  4. Gilda

    Que importante o que você mencionou , precisamos falar da dor de existir e não mascara-la . Na atualidade parece que só podemos mostrar obelo , mimentos incríveis de sucesso e não temos mais lugares nem espaço para a dor!

    Responder
    • Eduardo Pedreira

      Não é mesmo Gilda? Evitar as nossas dores é alimentá-las.

      Responder
  5. Mariza Pereira

    Tema muito forte mas que deve ser abordado.

    Responder
  6. Marcos Aurélio de S. Rodrigues

    O sofrimento é passageiro, desistir é para sempre.

    Nem todos entendem ou conseguem superar o momento.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscreva-se com seu endereço de e-mail para receber novidades e lançamentos em primeira mão!